Azerbaijão, onde a Europa termina

Pois é. Sempre pensei que a Europa terminasse em Istambul, mas estenderam a fronteira até o Azerbaijão, nela incluindo os três países do Cáucaso, Geórgia, Armênia e Azerbaijão, que visitamos em junho de 2015. E o mais complicado de ir é o Azerbaijão, mas vale a pena. O primeiro obstáculo a vencer é o visto. Enquanto a Geórgia não o exige, e o da Armênia pode ser tirado no Brasil, sem problema, o do Azerbaijão dá um trabalho… É preciso que alguém de lá nos convide: geralmente, uma agência de viagem, que faz isso cobrando, evidentemente. Depois, a taxa, fotos, documentos etc. Fica bem caro e demorado. O visto chegou para nós, já na Armênia, às vésperas de embarcar. Pensamos que estava tudo tranquilo e favorável. Que nada! Ao chegarmos a Baku, de um voo vindo de Tblisi, a entrada foi um perrengue, pois tínhamos visto da Armênia no passaporte. Como eles estão em guerra, ficamos uma meia-hora entre idas e vindas de homens mal-encarados, cópias de passaporte, telefonemas, até que nos liberaram a entrada. E éramos um grupo de doze portugueses e dois brasileiros, todos sexagenários pra riba. Ninguém com cara de terrorista ou de armênio, penso. Ou todos. Vai saber.

A surpresa começa no aeroporto, um dos mais modernos do mundo. Lembrou-me o de Dubai. E o Azerbaijão é, mais ou menos, isto: um Emirado Árabe agora europeu. Desde que se libertaram da URSS, após uma guerra sangrenta contra os russos, no início dos anos noventa, estão nadando em dinheiro do petróleo. E estão transformando um país antes atrasado da Ásia, num moderno país quase europeu. Baku está cheia de prédios modernos, shoppings de arquitetura arrojada, estádios, hotéis e uma juventude sequiosa de consumo e de novidades como toda do mundo. Embora o país seja muçulmano, não é radical. Poucas mulheres usam véu, shador ou burka, só as mais velhas e do interior. A maioria usa roupas ocidentais, fuma e dirige como as ocidentais.

Chegamos em plenos jogos olímpicos europeus e a cidade estava fervilhando de atletas, já nos últimos dias de competição. Pudemos assistir, pela tevê, à cerimônia de encerramento dos jogos, uma festa em que eles procuravam mostrar suas tradições e sua inserção na modernidade. Por causa da festa, tivemos alguns problemas no último dia, em Baku, quando resolvemos ficar sozinhos, no centro da cidade, após visita a um sítio pré-histórico na fronteira do Irã e tivemos dificuldade para voltar para o hotel. Trânsito impedido, metrô fechado, ausência de táxis. Com dificuldade, conseguimos um táxi, mas o motorista nada entendia de inglês e havia vários hotéis com o mesmo nome do nosso, Quafkas. Custou a acertar o que queríamos. Provavelmente, de propósito, como sói acontecer com os taxistas no mundo todo.

Diferente dos guias anteriores, o do Azerbaijão era um jovem, estudante universitário de letras espanholas. Inexperiente, fez o que pôde, mas como ia à balada, chegava cansado e mal dormido das noitadas. Afinal, a cidade estava cheia de gatas e ele era louco pelas nórdicas. Ainda não tinha pegado nenhuma; não sei se conseguiu no último dia. Pelo menos, foi o que me disse. Nossa primeira visita em Baku foi ao Memorial aos mortos da guerra contra os russos. Assistimos à troca da guarda e de lá se tem uma vista ampla da bela Baku. Depois, visitamos a fortaleza medieval da velha cidade, tombada como Patrimônio Mundial pela Unesco. Fizemos um pequeno cruzeiro pelo mar Cáspio, de onde se tem uma bela vista da cidade, almoçamos num restaurante típico da cidade medieval e à tarde fomos visitar  a península Absheron, com seus fogos eternos e lugar de adoração dos cultuadores de Zoroastro. A Montanha de Fogo é outro lugar classificado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, por ser única no mundo. No outro dia, visitamos Gobustan, um sítio arqueológico precioso, moderníssimo, onde se pode ver grande parte da história da região e da humanidade, também local tombado pela Unesco.

Anúncios

1 comentário

  1. Marlene Pozzatto · julho 8, 2016

    O texto do prof. Francisco Aurelio já desperta a vontade de conhecer a Geórgia, a Armênia e o Azerbaijão!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s