Xangai, a pérola do oriente

Saímos do Brasil com destino a Xangai, na China, uma das maiores cidades do mundo, de onde pegaríamos um navio para um cruzeiro que nos levaria à Coreia do Sul, Taiwan, Filipinas,  Vietnã, terminando em Hong Kong, viagem de sonhos para qualquer um  que conheça as histórias de Marco Polo e que só imaginava o oriente. Eu já tinha ido à China, há mais de vinte anos, mas, naquela época, só visitei Pequim, a capital, as muralhas da China e Hong Kong, que ainda era possessão inglesa. Agora, era a vez de Xangai, o grande porto comercial da China e o maior do mundo. Tudo na China tem proporções gigantescas e essa experiência eu iria sentir, sobretudo, andando de metrô, no meio de milhares de pessoas. Uma loucura!

O difícil para quem mora no Brasil é chegar lá. Normalmente, temos duas opções: pelos Estados Unidos ou por Dubai, já que não existe voo direto do Brasil para Xangai. Na ida, são dois dias de viagem. Saímos na quinta para chegar no sábado à noite, com parada em Detroit, nos EUA. Aí, já aprendi que a pronúncia correta em inglês é ‘Shang-Hai’ de tanto que o agente da imigração americano me perguntou o que iria fazer lá. Ele não queria entender que eu era um professor aposentado e que iria fazer um cruzeiro saindo de Xangai. Tive de lhe mostrar ticket, reserva de hotel, dinheiro na carteira, para ele me deixar entrar em seu país. Aff!

Chegamos a Xangai cansadíssimos. O serviço de táxis na China é bom e não há necessidade de reservar transfer privado, mais caro.O câmbio é quase fixo, embora no aeroporto seja pior, como em toldos lugares. O hotel era bem no centro, próximo à parte antiga. O serviço é razoável, visto que os jovens chineses são pouco estressados e tivemos de esperá-los jantar para nos atender. Para quem está viajando há dois dias, loucos para chegar, tomar um banho e se esticar na cama faz muita diferença.

No outro dia, levantamos cedo, tomamos um café da manhã muito bom, depois de dois dias só comendo comida de avião, argh!, e fomos caminhar pela cidade. Xangai é uma cidade de avenidas amplas, bem sinalizada, com grandes parques e banheiros limpos nos parques. Só não tem papel higiênico. Nos países orientais, é imprescindível andar com papel nos bolsos. No máximo, você encontra uma torneira e uma caneca para se lavar. Por isso, os banheiros no oriente são sempre cheios de água. E o vaso sanitário à moda oriental, como nossas antigas privadas, no chão.

Depois de caminharmos bastante, chegamos à Praça do Povo, onde pegamos o ônibus turístico e fizemos o percurso de duas horas, que nos levou aos principais pontos turísticos. Xangai é dividida pelo rio Huangpu, um afluente do rio Yangtze. O centro histórico é chamado de Puxi e localiza-se no lado oeste do Huangpu, enquanto o novo centro financeiro, chamado Pudong, está na margem oriental. Ali está a principal atração turística da cidade, a Torre Pérola Oriental, com seus 468m de altura, uma das mais altas do mundo.

Anúncios

2 comentários

  1. Marcelo Brasil Canuto · março 21

    Nossa, fiquei morrendo de inveja, que roteiro legal meu amigo, mande mais fotos e posts da continuidade da viagem para que possamos embarcar nela também pelos olhos seus e da Teca. Aproveitem bastante, um grande abraço.

    Curtir

    • Francisco Aurelio Ribeiro · março 21

      Marcelo, não estava com Teca, mas com o José Luiz Pizzol, companheiro de viagem como vc. Está na hora de fazermos outra viagem juntos, não? Ab

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s